Mudança na comunicação da Diocese de Uberlândia

Depois de quatro anos à frente do portal ELODAFE, da Diocese de Uberlândia, padre Claudemar Silva anunciou seu afastamento para “dar vazão a projetos pessoais de estudo e intercâmbio internacional”. O trabalho será assumido pela assessora Melissa Ribeiro. Em nota publicada em seu blog, padre Claudemar Silva destacou a trajetória do portal ELODAFE e sua abrangente relevância na Igreja e na sociedade:

Despedida do CCD e do ELODAFE

Em 2012, por iniciativa do vigário geral, Pe. Marcelo Augelo, uma comissão formada por profissionais da área da comunicação, religiosos e leigos, deu início ao que hoje se tornou um patrimônio imaterial da Diocese de Uberlândia: o portal de notícias ELODAFE. Naqueles idos, em reunião do clero diocesano, foi apresentada a proposta que viria a ser um divisor de águas na comunicação diocesana. E, por unanimidade, foi aprovada a criação do portal ELODAFE, com grande repercussão na mídia local, como mostram os clippings[1] à época.

Diferentemente das demais dioceses do Brasil, o portal ELODAFE abrange muito mais do que apenas notícias religiosas; ele é um formador de opinião. E graças ao empenho de muitos colaboradores, ele se tornou gradativamente uma referência para muitos blogs, sites e veículos de comunicação da região. Em comunicação, diz-se que quando um site cita outro, o portal citado tornou-se “referendum”. E isso ocorre com o ELODAFE. Sites como G1, Dom Total, A12, O Correio, Diário do Comércio, e uma série de blogs, já “linkaram” o ELODAFE em seus conteúdos. Mensalmente, são centenas de acessos. E, por dia, ao menos uma notícia das 47 Paróquias, das Pastorais ou Movimentos da Diocese de Uberlândia, encontra lugar nos destaques do portal.

Por trazer um nome laico – ELODAFE – e não institucional – Diocese de Uberlândia -, por exemplo, as áreas de atuação do portal se ampliam: ele alcança um número maior de internautas e alavanca sua abrangência de comunicação, pois não se restringe ao campo religioso, simplesmente. Pode, inclusive, tratar de temas que, num primeiro momento, não tem raiz eminentemente eclesial, mas que se confira de interesse público, pois contempla valores eminentemente humanos. A aceitação por parte dos “não-crentes” ou “não religiosos” terá um ganho plausível e tecnicamente inteligente.

Desde sua criação, o ELODAFE ganhou forças. Passou de um site não atualizado para um portal reconhecidamente importante para a comunicação da Diocese de Uberlândia. Hoje, temos uma assessoria reconhecida pelos principais veículos de comunicação da cidade e região. A parceria com tais veículos possibilitaram (e possibilita) a divulgação de eventos diocesanos com grande alcance de público, como foi o caso do Jubileu das Famílias, em junho do ano passado. Enviamos periodicamente sugestão de pautas (release) para sites, blogs, redes de tv e rádios. Somos recebidos em redações, telejornais e entradas ao vivo com matéria de interesse da comunidade católica.

Antes, porém, no ELODAFE não havia notícias relevantes nem diárias. Atualmente, o CCD – Centro de Comunicação Diocesano -, órgão que responde pela comunicação diocesana, recebe mais de uma pauta por dia, enviada por agentes das Pastorais e Movimentos Diocesanos. E as notícias veiculadas em nosso portal são reverberadas nos sites paroquiais ou blogs da região. Nosso portal é realmente visto e lido. E ele é uma referência não apenas para católicos. Sem falar do enorme contributo dos agentes PASCOM – Pastoral da Comunicação.

Uma das demandas do CCD é a integração, formação, comunhão e unidade das PASCOMs. Após um trabalho de conscientização, inserção e atenção às Paróquias, hoje temos mais de 20 representantes paroquiais em sintonia com o portal ELODAFE. São colaboradores diretos e indiretos: enviam pautas, escrevem matérias, registram imagens, vídeos e áudios para o portal de notícias da Diocese.

De fato, o portal ELODAFE é de propriedade da Diocese; do clero e dos diocesanos. Deve ser amado, apoiado, respeitado e valorizado por todos. Numa cultura do efêmero, cabe aos interessados o cuidado para que não se perca este bem que é de todos. Logo, todos devem se sentir (co)responsáveis por sua manutenção, continuidade e superação das dificuldades, bem como do seu aprimoramento.

Em breve, teremos a transição do layout e de todo o suporte técnico para a empresa PARRESIA. Foram meses, desde o fim do ano passado (2016), de reuniões, briefings, correções e adaptações. Em tudo, procuramos respeitar a identidade e a história do portal ELODAFE por entendermos que não se pode abrir mão do passado, nem tampouco desprezá-lo em nome de um futuro incerto ou de uma falsa modernidade. E, em toda história, há lágrimas, sangue e suor de pessoas que se dedicaram com amor e afinco por uma causa que julgaram importante e credível.

Depois de 4 (quatro) anos à frente do CCD, eu, Pe. Claudemar Silva, estou me afastando para dar vazão a projetos pessoais de estudo e intercâmbio internacional. Responderá, a partir de julho, pelo CCD e, consequentemente pelo portal ELODAFE, a assessora Melissa Ribeiro.

Desde que cheguei ao CCD, foram muitas as conquistas e alegrias somadas e divididas com todos aqueles que tive a oportunidade de encontrar. Muitas pessoas deram sua contribuição, e eu gostaria de nomeá-las; os estagiários que foram meus colaboradores mais diretos: Gislene, Maria Emília, Geraldo Henrique, Deliene, Samara e Melissa Ribeiro. Eu não teria conseguido sem eles. Quando diácono, estive sozinho. Porém, depois de ordenado padre, era imprescindível a presença de colaboradores tão competentes e profissionais como esses. Muito obrigado.

No início, o portal ELODAFE era um “elefante branco”. Uma infinidade de possibilidades, mas mal aproveitadas. Não tínhamos instrumentais nem tampouco a cultura de comunicação que temos hoje. As pautas não vinham e não havia credibilidade ainda ao nosso trabalho. Aos poucos, mas bem aos poucos mesmo, fomos ganhando “respeito” e a colaboração de muitos parceiros: Gilson Rocha, Pe. Márcio Gonçalves, Pe. Guilherme Stort, Maria Neucele, Maria do Rosário, Pe. Eduardo César, Frei João Júnior, Douglas Patresse, Leandro Oliveira, Ismael Carvalho, Dione Nogueira, José Ricardo, Paulinho (P Comunicação), Alderico (Vertical Filmes), e outros. A fanpage do ELODAFE tinha cerca de 300 curtidas. Hoje temos quase 5.000.

Ao me despedir do CCD, trago comigo um profundo sentimento de gratidão a Deus. Ele me possibilitou trabalhar com aquilo para o qual eu sempre me senti inclinado: a comunicação. Claro que a comunicação diz de todo homem. Afinal, todos nós comunicamos. E um padre é, por excelência, um comunicador. Logo, não me ausentarei da comunicação. Ela segue comigo. Dou graças a Deus e à Diocese de Uberlândia que me possibilitaram formar e lapidar o dom recebido. Fechar um ciclo nos faz, necessariamente, olhar para trás. E em tudo quanto vejo, reconheço: “foi muito bom”. Acertos e erros, sucessos e frustrações fazem parte do viver humano. O tempo é terapêutico.

E a todos, meu abraço sincero e o desejo de ver o ELODAFE ir sempre mais longe. Ele é seu. Cuide bem dele. E lembre-se: nossa missão é promover a sua.

Pe. Claudemar Silva

Share this post

PinIt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top